Cá Entre Nós – Políticas Fascistas do governo Bolsonaro… e você com isso?

CEN geral

No próximo dia 22 de Junho a ECCOS irá realizar um importante debate aberto no auditório do sindicato da construção civil (Centro de Campinas).

Trata-se de um diálogo sobre como as políticas fascistas sendo implementadas pelo governo Bolsonaro afetam nossas comunidades e nosso cotidiano social.

Este diálogo está sendo construído entre parceiros sociais comprometidos com as questões populares e o trabalho de base na cidade de Campinas.

Assim sendo, no evento estarão presentes na mesa, apresentando questões a serem discutidas, diversos integrantes de movimentos sociais e lideranças comunitárias de Campinas, veja a relação abaixo:

  • Leila Dumaresq (Filósofa – integrante do Grupo Identidade)
  • Mariana Davi (Socióloga – integrante do Levante Popular da Juventude)
  • Robenildo Noberto (Economista – integrante do Projeto Prometheus)
  • Lúcia Gomes (Diretora da Cooperativa Habitacional Vipcooper – integrante da União dos Movimentos de Moradia)
  • Manoel Pereira (Presidente da Associação de Moradores do Jardim Santo Antônio – liderança comunitária da região Ouro Verde)
  • Carmem Souza (Presidente da Oficina Cultural da Mulher – liderança da comunidade Menino Chorão)
  • Lucas Pontes (Jornalista – coordenador geral da ECCOS)

Esta iniciativa da ECCOS e parceiros é aberta ao público geral, que queira discutir conosco a nossa realidade atual frente ao governo de extrema-direita de Bolsonaro.

Serviço:
Evento: Cá Entre Nós – Políticas Fascistas do governo Bolsonaro… e eu com isso?
Local – Rua Barão de Jaguara, 636 / auditório do Sindicato da Construção Civil (Centro)
Data: 22/06/2019 – Sábado.
Horário – 9h.

Contamos com a presença de todos e vamos em frente.

 

Anúncios

Dia contra a LGBTIfobia em Campinas

60203344_2307075646015386_2527237659810594816_n

A ECCOS assina esse manifesto abaixo, em conjunto com outras organizações.
E junto com o grupo Identidade chamamos todos a participar do ato no dia 17. Contra a LGBTfobia. A concentração para o ato será às 17h, no Largo do Rosário (Centro).

3• Parada Campinas e Região Contra a LGBTIFOBIA! Tire suas mãos desse sangue! Basta de LGBTIfobia!
17 de Maio – Dia Mundial e Municipal Contra a LGBTIfobia!
Dia 17 de Maio – concentração a partir das 17h no Largo do Rosário

O Brasil é campeão mundial de assassinatos de LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexos). Você quer suas mãos cheias de sangue?! Você é melhor do que isto!

A violência contra pessoas LGBTI acontece todos os dias, e de várias maneiras. A mais impressionante é das mortes e da crueldade, como aconteceu com Quelly da Silva, assassinada e com o coração arrancado, dia 21 de Janeiro deste ano. O assassino confesso disse que fez isso porque ela era “o demônio”.

Você concorda com essa violência? Se não concorda, vamos pensar: porque isso acontece?

Quelly era uma travesti, e assim como ela, 179 travestis e transexuais foram assassinadas com extrema violência em 2017, 15% a mais que em 2016, e unicamente por serem trans.

Isso não é um crime de ódio? Assassinar uma pessoa por que ela é diferente de mim?

Mas de onde vem esse ódio? Porque um jovem de 20 anos comete um ato tão bárbaro?

Lamentavelmente, todos os dias, de bocas diferentes – algumas lideranças religiosas do fundamentalismo/fanatismo religioso conservador, outras de autoridades e lideranças políticas – ouvimos discursos de ódio que alimentam essa violência.

A piadinha preconceituosa também alimenta esse ódio, e tem gente que acha que a mão assassina é a única culpada. Não: a responsabilidade por esse crime é de muitas outras pessoas, além do assassino que praticou a barbárie.

17 de Maio é marcado no planeta com Dia Internacional de Luta Contra a LGBTIFOBIA, por ter sido a data, no ano de 1990, em que a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade da Classificação Internacional de Doenças. E em Campinas o 17 de Maio é Dia Municipal de Luta Contra a LGBTIFOBIA, graças a Lei nº 13.285, de 08 de Abril de 2008, de autoria da então vereadora Marcela Moreira (PSOL).

Neste dia internacional nos solidarizamos com as pessoas de mais de 70 países nos quais ser LGBTI é crime, e dentre estes 7 punem com a pena de morte.

As mortes violentas não esgotam as marcas desta violência. Todos os dias, pessoas LGBTI são expulsas das escolas, não conseguem emprego ou são demitidas do trabalho pela orientação sexual e/ou identidade de gênero fora do padrão (heteronormatividade), e sofrem todo tipo de agressões físicas e verbais inclusive no ambiente familiar.

Nestas duas últimas semanas, agentes da Polícia Miliar do Estado de SP em Campinas têm feito operações ostensivas e truculentas contra as travestis e transexuais que ficam nos arredores do Largo São Benedito expulsando-as de lá, sob diversas ameaças, e consequentemente, impedindo-as de trabalhar.

Se você não concorda com essa violência e esse discurso de ódio, pode fazer sua parte na mudança de nossa sociedade. Pode vir conosco nessa caminhada, tanto agora nas ruas de Campinas, ou em outros momentos do dia-a-dia.

Pode evitar reproduzir ideias preconceituosas, machistas, racistas, ofensivas e pessoas LGBTIs e dialogar quando outra pessoa falar algo assim, mostrando os efeitos trágicos que esse discurso de ódio pode produzir.

Quantas Quellys terão de ser assassinadas para compreendermos isso?!

Basta de LGBTIFOBIA e de violência!

ABGLT – Assoc.Bras.Lésbicas,Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos / AQUEND – Indaiatuba / Associação LGBT Bianca Niero – Vinhedo / Associação da Diversidade Sumareense – Sumaré / Associação ECCOS / Aos Brados – Vivência Digna da Sexualidade / Associação Mulheres Guerreiras – Profissionais do Sexo Unidas Pelo Respeito / Associação da Parada do Orgulho LGBT de Campinas / Casa Sem Preconceitos / Coletivo LGBT da APEOESP / Coletivo LGBT do MST – Acampamento Marielle Vive! / Coletivo de Mulheres da CUT Campinas / Coletivo de Mulheres Negras do Interior Paulista / Coletivo Transtornar / GT de Sexualidade e Gênero CRP SP Subsede Campinas / Identidade – Grupo de Luta Pela Diversidade Sexual / Instituto Voz Ativa / Mães Pela Diversidade / Rede Afro LGBTT / Setorial LGBTQI+ do PSOL / Setorial LGBT do PT / 7 Atos de Amor

ECCOS em Movimento: Kbela

Ontem (4/5/19) realizamos mais uma etapa do nosso cine-debate no MIS-Campinas, em conjunto com o cursinho popular Prometheus. Desta vez exibimos o curta ‘Kbela’ que retrata a questão da busca da mulher negra por sua identidade histórica e cultural.

Após o filme tivemos um ótimo bate-papo sobre a situação da mulher negra em nossa sociedade e sua resistência. Contamos também com a presença de professores e representantes do cursinho popular Identidade Popular, entre outros.
Veja fotos abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.